sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Tocar

Me deixa te tocar
Uma canção
Que te toque a alma
Que te faça cantar

Me deixe te tocar
A mão, os braços
Os lábios, o corpo
Com o calor da paixão

Sinta-me te tocar
Com os olhos
Carinhoso e apaixonado
Cheio de tesão

Toque-me
O rosto, a boca
Os pelos, a pele
O coração

sábado, 13 de janeiro de 2018

Café

Bebendo café 
Como se fosse água
Seu amargor
Já não me incomoda

Seguindo
Às vezes fingindo
Seu amor 
Hoje já não me importa

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Ciúmes

Exposto em carne crua
Me vejo nu
Sozinho
Na rua

Escolha minha
De fato
Não lido bem
E falho

Amor não vai embora
Se transforma
Ciúmes não muda
Aperta o peito
Machuca

terça-feira, 21 de março de 2017

Projeção Astral

Posso me ver aqui de cima
Acordado enquanto ainda dormia
Parece tão natural
Algo tão real

Posso te ver tão diferente
Quantas luzes e cores quentes
Você está tão bonita
Muito mais bonita...

Aqui somos aquilo que somos
Sem maquiagem, mentiras ou planos
Expandindo nossa consciência
Fluindo com a correnteza

Realidade
Dimensão tão sútil
Trafegar pelo espaço sem tempo
Ir e vir num simples pensamento


segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Borboletas e Morcegos

Quando as constantes borboletas
Que voavam leves no meu estômago
Tornam-se morcegos
Pesados, pendurados, barulhentos

E fui eu quem escolheu assim
E agora? 
Qual o real preço disso tudo?
Ação e reação.

Te vira! 
Sacode!
Não seja egoísta!
Não de novo.

Se vai.
Deixe ir.
Cala-se.
Por ela e por ti.

terça-feira, 27 de outubro de 2015

AGORA!

Olha! Agora!
Sai aí fora 
Vai ver o frio que faz

Olha! Agora!
Vê se não demorar
Porque logo vai esquentar

Venha, vamos tomar um vinho
Assistir um filminho
Dividir um cobertor

Olha! Agora!
Abra a janela
Veja o sol que faz

Olha! Agora!
Vê se não demorar
Porque logo vai se pôr

Venha, vamos dar uma voltinha
Tomar uma cervejinha
E o curtir o calor

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Friagem


Um projétil alojado no peito
Um pino instalado no joelho

Um osso trincado que ainda não se recuperou
O tornozelo inchado que ainda causa dor

No frio tudo dói mais que o normal
No frio nada dói mais que a saudade.

*Republicação de uma poesia escrita por mim em 2012 que foi ilustrada pelo professor Samir Lahoud. O desenho ainda não havia sido publicado aqui no blog.